Sim, é de comer! Conheça 5 PANCs, seus benefícios e formas de consumo

As PANCs são boas para o paladar, para a saúde, para o meio ambiente e para o bolso! Conheça os benefícios e algumas ideias para incluir as Plantas Alimentícias Não Convencionais no cardápio.
Sim, é de comer! Conheça 5 PANCs, seus benefícios e formas de consumo

Você já deve ter ouvido falar: PANCs é a sigla para Plantas Alimentícias Não Convencionais. O nome é autoexplicativo: flores, folhas, raízes ou frutos, as PANCs são plantas comestíveis, que ainda são pouco usadas na alimentação cotidiana.Por falta de costume ou de informação, muitas delas têm seu potencial nutritivo ignorado e ainda são chamadas pejorativamente de ervas daninhas, matinhos etc.

Estima-se que no Brasil existam mais de 10 mil plantas com potencial alimentício. Porém, nem todas foram descobertas ainda. Neste texto vamos apresentar algumas delas. Além disso, você vai ver:

  • O que são as PANCs?
  • Quais são os benefícios de consumir PANCs?
  • Como identificar PANCs corretamente?
  • 5 PANCs para plantar em casa – benefícios e preparo

O que são as PANCs?

As PANCs são espécies vegetais com potencial alimentar ainda pouco explorado. Podem ser de cultivo espontâneo, cultivado, nativo ou exótico (vinda de outras regiões).

Algumas são conhecidas apenas regionalmente, em pratos tradicionais, como é o caso da taioba e da ora-pro-nóbis, em Minas Gerais. Outras são “cosmopolitas”, ou seja, estão em toda parte, como o picão-branco e o dente-de-leão.

Também são consideradas PANCs as partes normalmente não aproveitadas de vegetais, como as folhas da beterraba e da cenoura, por exemplo.

Você sabia? A rúcula já foi PANC, antes mesmo desse nome existir. Hoje muito comum nas saladas brasileiras, ela era considerada uma espécie invasora (ou daninha) e desperdiçada. Outras PANCs que já estão mais assimiladas nos cardápios brasileiros são o inhame e a cúrcuma.

Quais são os benefícios de consumir PANCs?

Incluir PANCs no cardápio traz benefícios ao paladar, à saúde, ao bolso e ao meio ambiente. Vem ver:

Benefícios das PANCs para o paladar

Se você gosta de experimentar novas receitas e se encanta com uma boa apresentação à mesa, temos a primeira vantagem das PANCs: diversidade de aromas, cores, texturas e sabores no prato. Algumas são mais azedinhas, outras mais amargas ou até adocicadas. Vale combinar com outros alimentos já conhecidos para testar.

Benefícios das PANCs para a saúde

Se tem variedade no prato, tem uma ampla gama de nutrientes. Esses matinhos que você ignorava guardam altas quantidades de vitaminas, minerais e proteínas essenciais para o bom funcionamento do organismo. Além disso, como são fáceis de cultivar e bastante resistentes a pragas, normalmente são livres de agrotóxicos!

Benefícios das PANCs para a economia

A facilidade de cultivo também traz benefícios para o bolso. Algumas se proliferam em qualquer canteiro e podem ser cultivadas na sua horta caseira, como veremos adiante.

O poder nutricional das PANCs também tem despertado a atenção de produtores rurais e algumas delas já podem ser encontradas em feiras e hortifrutis, a bons preços. O Ministério da Agricultura tem até um manual para quem quiser profissionalizar o cultivo de hortaliças não convencionais para comércio.

Benefícios das PANCs para o meio ambiente:

As plantas alimentícias não convencionais, em sua maioria, são muito bem adaptadas ao clima. Portanto, não precisam de muita irrigação, adubação ou produtos químicos para o cultivo.

A presença delas ajuda a equilibrar o meio ambiente, preservando o ecossistema. Segundo a Embrapa, o resgate das PANCs contribui ainda para a preservação do patrimônio genético e para a segurança e soberania alimentar e nutricional no Brasil. Há ainda uma importância cultural, já que se valoriza espécies nativas e conhecimentos regionais.

Como identificar PANCs corretamente?

Se, por um lado, existem plantas altamente nutritivas, por outro, existem também as espécies venenosas. Não existe uma regra exata para a identificação.

Por isso, apesar dos benefícios, ainda é preciso muito cuidado antes de experimentar novas plantas. Uma forma de reconhecer as PANCs com segurança é se informar em fontes seguras, saber o nome científico e pesquisar em sites ou guias confiáveis.

O livro Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil, escrito pelos estudiosos Valdely Kinupp e Harri Lorenzi, apresenta mais de 300 espécies. A obra mostra características e fotos que permitem a identificação botânica e seus usos culinários, além de receitas ilustradas.

5 PANCs para plantar em casa – benefícios e formas de preparo

Para quem não pretende sair “caçando” espécies nas ruas, mas quer aderir ao universo das PANCs, já existe uma lista de espécies bastante populares que podem até ser cultivadas em casa. Vamos conhecer algumas delas?

1. Bertalha (Basella alba L.)

A bertalha é uma PANC que cresce como trepadeira, com caules verdes, carnosos e suculentos. Conhecida como espinafre tropical, é rica em vitaminas A e C, cálcio e ferro. As folhas e ramos precisam ser consumidos logo após a colheita.

Pode ser consumida crua em saladas, refogada como a couve e o espinafre ou ser usada em recheios de quiches, tortas e omelete. No Rio de Janeiro, um prato comum é o refogadinho de bertalha com ovos. Ela também é apreciada no Pará e em Minas Gerais.

2. Capuchinha (Tropaeolum majus)

Mais uma flor que, além de linda e fácil de ser cultivada, é comestível. Quanto maior o vaso, mais ela cresce. E se tiver apoio, pode virar uma bela trepadeira.

As folhas (ricas em ferro) e as flores (cheias de vitamina C e carotenóides) podem ser consumidas em saladas e sanduíches, lembrando o sabor da rúcula e do agrião. As sementes podem ser usadas em conservas com vinagre. Ela ainda é considerada antisséptica, antioxidante, anti-inflamatória e antibiótica, por suas propriedades.

3. Dente-de-leão (Taraxacum officinale)

Ele está por toda parte, e cresce em qualquer rachadura de calçada! E quem não ama soprar um dente-de-leão e ver as sementinhas voarem? Antes de chegar nesse ponto de “pluma”, a planta tem uma florzinha amarela que é comestível. Ela pode ser preparada empanada e frita ou em geleias e chás.

E não é só a flor que se aproveita: suas folhas e raízes também são próprias para consumo em saladas, decoração de pratos ou refogadas. A plantinha é rica em vitaminas A e C, ferro e potássio, o que dá uma superforça para o sistema imunológico e a prevenção de doenças.

4. Hibisco ou vinagreira (Hibiscus sabdariffa

Além de dar lindas flores ornamentais, o hibisco é uma PANC muito nutritiva, tendo mais ferro que o espinafre. Seu uso medicinal e culinário vai além do conhecido chá de hibisco, que é considerado diurético.

Suas folhas, flores, frutos e sementes podem ser consumidos crus em saladas, refogados ou cozidos – em geleias, conservas e molhos. Além disso, o fruto do hibisco é ingrediente fundamental do arroz de cuxá, famoso na culinária maranhense.

5. Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata)

Cresce tão facilmente que costuma ser usado como cerca-viva em Minas Gerais. Seu uso na culinária mineira é famoso nos pratos à base de frango caipira ou costelinha de porco

Como é muito rica em proteínas (cerca de 25% da sua composição), também é muito apreciada pelos vegetarianos. Pela propriedade, também é chamada de “carne de pobre”. Além da proteína, a ora-pro-nóbis é fonte de fibras e vitaminas que ajudam no funcionamento do intestino e fortalecem o sistema imunológico.

As folhas e o caule podem ser consumidos crus em saladas e sucos ou cozidos em refogados, molhos, omeletes e tortas. Quando secas, as folhas podem ser trituradas para enriquecer pães, bolos e farofas.

Sabia que é superpossível fazer uma horta em apartamento? A gente conta como aqui!

Você achou esse artigo útil?

Sim, é de comer! Conheça 5 PANCs, seus benefícios e formas de consumo