Seu filho está pronto para receber mesada? Responda ao quiz e descubra!

Pensando em dar uma mesada para seus filhos? Vem aqui para conferir dicas de educação financeira :)
Seu filho está pronto para receber mesada? Responda ao quiz e descubra!

Você recebia mesada quando criança? Pode responder baixinho: você gastava tudo ou era consciente?

O assunto da matéria é exatamente esse! E já vamos começar por uma curiosidade: muita gente não sabe, mas a palavra “mesada” é referente a “mês”. O recebimento do dinheiro da mesada mensalmente se assemelha à forma como recebemos o salário de uma empresa!

Tem tudo a ver, né? A educação financeira começa aí 🙂

O que é mesada, afinal?

Podemos definir a mesada como uma quantia recebida mensalmente.

Utilizamos essa expressão para nos referir ao dinheiro que pais e mães podem dar aos próprios filhos enquanto ainda não trabalham, para criarem desde cedo um senso econômico autônomo.

Quais são os benefícios de dar mesada para filhos?

Quando depositamos, mensalmente, uma quantia a nossos filhos, ajudamos eles a criarem um senso financeiro. O que contribui para que se tornem adultos conscientes de seus hábitos de consumo 🙂

Dentre esses hábitos está o aprendizado de controlar impulsos – já que eles passam a perceber com o que gastam mais. Dessa maneira, eles podem praticar  desde cedo o exercício de se organizar com o limite de orçamento que têm a seu dispor.

Sabe aqueles presentinhos que você costuma dar aos seus filhos? Então, eles podem até não demonstrar, mas com certeza valorizam muito mais depois de entender como a vida financeira funciona!

Mas é importante sempre conversar e monitorar os gastos, viu? O papel dos pais ou responsáveis funciona como um banco: não pode entrar em cheque especial, a não ser que seja uma situação urgente, e muito menos ficar devendo – olha os juros vindo aí!

Mesada que não é monitorada pode gerar a falsa sensação de que o dinheiro “vem fácil”. Como se não fosse preciso esforço algum para conquistá-lo.

Às vezes, o adolescente pode gastar todo o dinheiro de uma vez e entender que, na vida adulta, não é preciso poupar ou planejar onde investir o dinheiro.

Em outras palavras, o exercício de educação financeira só funciona se a criança ou adolescente tiver alguém para guiá-la.

Como calcular mesada para filhos?

Para calcular mesada para filhos, você pode estipular um valor mínimo por semana (por exemplo, R$ 3,00) e multiplicar pela idade da criança. Então, para um adolescente de 13 anos, o resultado é de R$ 39,00 semanais, ou R$ 156,00 por mês.

Como forma de incentivo, você pode dar bônus! Isso pode até florescer o espírito empreendedor dentro deles. Por exemplo: pagar a criança por uma sessão de massagem nas mãos, dar banho no cachorro, uma maquiagem ou um desenho muito bonito que ele(a) fez, e por aí vai.

Assim, ela entende que o dinheiro é uma moeda de troca e será reconhecida com essa moeda por realizar um trabalho 🙂

Observação: é importante que esse pagamento bônus seja algo esporádico, como forma de incentivo, e não algo frequente, já que o foco é estimular uma lógica saudável do mundo financeiro.

Vamos dar um exemplo: imagine que seu filho é uma pessoa apaixonada por desenho e exerce essa tarefa de forma incrível. Ter sua arte incentivada pelos pais pode impulsionar sua vontade de melhorar cada vez mais. Contudo, receber sempre por isso, pode não tornar a tarefa prazerosa, visando apenas a recompensa.

Então, a ideia do bônus é valorizar a tarefa e dar aquele “empurrãozinho” na lógica financeira de trabalho, que a criança ou o adolescente – futuro adulto – terá que enfrentar mais adiante.

Com isso, se seu filho decidir ter um negócio algum dia, entenderá o valor e a importância do pagamento; pode ter grandes ideias e fazer de sua paixão e talento um trabalho; e, se um dia precisar arrecadar dinheiro, vai enxergar um caminho saudável para isso!

Como estipular regras para mesada?

Às crianças de até 10 anos, você pode oferecer pequenas quantias, sem uma regra em específico, para elas irem adquirindo a noção financeira.

Já aos pré-adolescentes a partir de 11 anos, é interessante manter uma frequência mensal e estipular regras de recebimento, ou seja: “todo dia X você vai receber Y quantia”.

Além disso, uma boa dica é dosar a forma que você vai interferir na vida econômica dos seus filhos. Vocês podem cobrir as saídas com a família e os gastos com comida. Mas o adolescente pode pagar o lazer com os amigos, como cinema ou festinhas.

Se estivermos falando de uma criança menor, a regra pode ser outra. Você pode incentivá-la a poupar para comprar algum brinquedo caro que você não possa pagar no momento.

Como fazer um quadro de mesada?

O quadro de mesada convencional consiste em uma métrica de comportamento vs recompensa em dinheiro.

Contudo, alguns especialistas na área financeira não recomendam essa prática. Isso para evitar uma linha de raciocínio mercenária e dar a entender às crianças que tarefas básicas não são obrigações e sempre serão recompensadas.

Por isso, o quadro de mesada pode funcionar como uma planilha de controle. A própria criança ou adolescente pode manuseá-la, anotando a quantia que entra, a que sai e a que sobra.

As metas também podem ser incluídas. Supondo que, para o final do ano, seu filho queira comprar um tênis e, para isso, precisa poupar 10% do que recebe por mês. Então, é só ele ir controlando no quadro!

Por fim, outra coisa legal é ajudar a criança ou o adolescente a entender seus hábitos de consumo. Vale registrar os gastos da mesada por categoria: lazer; entretenimento; roupa; comida e outros.

Como ensinar os filhos a organizarem a mesada?

Você pode ensinar seus filhos a se programarem antes de gastar! Peça para anotarem a quantia total que recebem todo mês e os gastos mensais e esporádicos.

Essa é uma forma de ajudá-los a investirem melhor o dinheiro que recebem.

É importante falar também sobre reservas de emergência e poupança. Que tal cada um  economizar R$ 5,00 por mês, caso precisem de mais dinheiro algum dia?

Ou ainda cada um pode poupar pequenas quantias por mês para alguma finalidade específica! Pode ser comprar um brinquedo, um jogo, uma roupa ou fazer um passeio, como viajar ou visitar um parque de diversões.

QUIZ: Seu filho está pronto para receber mesada?

Agora é hora da verdade: será que seu filho está pronto para essa responsabilidade?

1. Em situações cotidianas, seu filho leva a sério as responsabilidades que você pede para ele cumprir?

  • Sim <3 Considero meu filho(a) muito responsável!
  • Para falar a verdade, não. Pode melhorar bastante!

2. Você sente que seu filho entende o real valor de uma moeda de troca e tudo o que ela significa?

  •  Tem noção, sim 🙂
  •  Um dia ele(a) entenderá… mas esse dia não é hoje!

3. Seu filho(a) sabe ouvir “não” relacionado a questões financeiras?

  • Ninguém gosta! Mas, na maioria das vezes, ele(a) aceita
  • Não reage muito bem, não

4. Pelas suas observações, poupar dinheiro e controlar os impulsos seria um problema para seu filho(a)?

  • Hum… provavelmente!
  • Acho que não!

RESPOSTAS:

+ SIM

Olha só! Parece que seu filho ou filha realmente tem um senso financeiro aflorado, apesar de não gerar ainda a própria renda, não é?

Que ótimo! A mesada será uma grande oportunidade para que ele(a) lide melhor com a educação financeira desde cedo.

Vai fundo 🙂

+ NÃO

Hum, parece que seu filho(a) ainda não desenvolveu um senso financeiro. Que tal proporcionar a ele(a) a experiência da mesada e tudo que ela acarreta?

Controle de gastos, compreensão dos hábitos de consumo e valorização de renda: será um desafio, ao mesmo tempo que uma grande oportunidade para ele(a) conhecer melhor o universo adulto.

Se seu filho(a) está preparado para essa responsabilidade toda? Talvez não. Mas quem nasce preparado, não é?!

Para a experiência com a mesada, nós votamos SIM 😀

 Saber economizar é assunto de gente grande! Vem conferir nossas dicas para economizar dinheiro no mercado, clicando aqui!

Você achou esse artigo útil?

Seu filho está pronto para receber mesada? Responda ao quiz e descubra!